Você está aqui: Início O Evento Depoimentos Atletas

Depoimentos

DESAFIO PRAIAS E TRILHAS 84KM – A Corrida Da Minha Vida

“O remédio para tudo na vida é água salgada; suor, lágrimas e o mar”, disse certa vez, alguém em profunda sabedoria. Acrescente a toda essa água salgada, 84km de pura beleza altamente desafiadora e um punhado de seres humanos apaixonados pela vida, isto, é o Desafio Praias e Trilhas, a corrida da minha vida. Uma prova inigualável que, sem dúvida alguma, transcende as fronteiras do esporte de todas as formas possíveis.
Em minha oitava participação nesta corrida, que se confunde com minha história no mundo da ultrarresistência, fui presenteado com fortes e profundas emoções, ainda mais intensas do que nas edições anteriores. O Praias e Trilhas foi onde tudo começou para mim, ali errei, sofri, chorei, perdi, sorri, acertei, venci, e por fim, aprendi.


Quando viajei para Florianópolis na sexta ferira (18/10) meu coração já batia forte à espera dos dois grandes dias, como em minha primeira participação. E quando o coração está em paz, pulsando intensamente, não importa o quão destruído esteja o restante do corpo, tudo é possível! E meu corpo havia recebido uma enorme pancada seis dias antes, na Half Misión 80km na cidadezinha de Passa Quatro em Minas Gerais, a corrida de montanha mais casca grossa já realizada em terras brasileiras na opinião de quem lá esteve (na minha, inclusive).
Alinhei para a largada junto de meus companheiros com uma sensação nostálgica por tudo já vivido intensamente nesta prova, e um sentimento estranho de incapacidade, de quem gostaria de realizar algo maior do que suas limitações físicas permitiriam.


1º DIA – 42km
Larguei bem tranquilo, não seria possível largar de outra forma. Desde os primeiros quilômetros senti o corpo pesado, cansado... E uma dificuldade incomum de recuperar o fôlego após trechos mais exigentes.
Há oito anos corro estes 84km, e não me canso de admirar e me emocionar diante de tamanha beleza. No Praias e Trilhas tudo é diferente, todas as sensações e sentimentos intensificam-se, tudo fica à flor da pele. Inclusive o cansaço! rsrsrs... E como cansei neste primeiro dia de prova, acredito ter sido o primeiro dia mais sofrido de todas as minhas participações. Por conta do cansaço é claro, mas principalmente pela minha luxação no dedinho do pé direito, devido às diversas topadas na Half Misión na semana anterior. Meu pé estava muito dolorido mas era suportável, entretanto, eu não poderia sequer pensar em dar uma nova topada. Por isso, corri nas trilhas o tempo inteiro defendendo meu pé direito das pedras, galhos, raízes e tocos do caminho, o que tornou minha progressão bem mais lenta que o habitual, principalmente nas descidas.


Mesmo assim, com todo o cuidado do mundo, na pirambeira altamente técnica que leva à magnífica e selvagem praia da Lagoinha do Leste, aquilo que não poderia de forma alguma acontecer, aconteceu. Bati forte meu pé machucado contra uma pedra, nada que em condições normais teria me causado algum dano maior, porém, com meu pé completamente fragilizado foi realmente uma dor terrível, nauseante! Trinquei os dentes e engoli seco os gritos de dor... Não parei, continuei descendo lentamente, mancando e gemendo de dor a cada pisada. São raríssimas às vezes que a palavra desistir, me vem à cabeça durante alguma competição ou desafio pessoal, mas naquele momento, descendo para a Lagoinha do Leste eu pensei , pensei mesmo que não daria para continuar... No entanto, aos poucos a dor foi diminuindo e mesmo não sendo possível correr nas trilhas, era possível andar. E foi exatamente o que fiz durante todo o longo trecho de trilhas pedregosas da Lagoinha do Leste até o km 27 na praia de Armação. Tive que percorrer todas aquelas trilhas tão lentamente que cheguei a pensar que não valia mais à pena me esforçar o máximo possível e continuar competindo... Por um momento quase entreguei os pontos, não pensei em desistir da prova, mas diante de tamanha dificuldade, pensei sim, em abandonar a disputa. Porque com o tempo que eu conseguiria concluir este sofrido primeiro dia, seria impossível me recuperar no segundo, ou seja, a competição estava perdida!


“Não, não, não!!! Não é assim que eu corro! Isso tudo nunca teve nada a ver com colocações ou tempo!” , pensei comigo mesmo. “Lembra?”, me questionei. “Trata-se apenas, de sempre, em qualquer que seja a situação, fazer o melhor possível “, concluí em pensamento.
E assim segui à diante, exausto, mancando, mas segui, segui e segui mais um pouco, perseverando... Fazendo o melhor possível diante daquela situação, até que... Cruzei o pórtico de chegada e o sofrimento que às vezes parece não ter fim, cessou.
Mas, apenas metade da corrida havia terminado. E então, como pensar nos 42km do dia seguinte naquelas condições?
Concluí os primeiros 42km em 5h19min, na 16ª colocação geral, atrás inclusive da primeira mulher! A Super Campeã e grande amiga Débora Simas. Definitivamente as coisas não estavam fáceis para mim. Para conseguir uma boa colocação na somatória dos dois dias de prova, eu teria que acordar iluminado e obter um desempenho inacreditavelmente assombroso.


2º DIA – Mais 42km
Sem ter tomado NENHUM medicamento ou suplemento (algo que certamente 90% dos atletas teriam feito), acordei tranquilo e confiante no domingo para a segunda etapa da missão. Confiante para quê não sei?! Mas foi assim que me senti, incrivelmente tranquilo, leve, descansado e confiante.


Minutos antes da largada, o clima era de total descontração, o papo fluía solto entre os amigos e, alinhados abaixo do pórtico e dando gargalhadas, nem parecia que no dia anterior havíamos corrido 42km, e que em alguns minutos, mais 42km nos aguardavam.


Como não podia deixar de ser, a galera largou voando, parecia uma prova de 5km! Fiquei tranquilo, só aguardando quanto duraria aquela euforia toda. E não durou muito mesmo, entrando nas dunas da Joaquina, logo no inicio, comecei a passar o pessoal. Achei estranho, mas desde o início meu corpo, como que por milagre, me deu sinais de que um grande dia estaria por vir... Fui passando um, dois, três, quatro, cinco atletas... Até chegar no costão da Praia Mole e ultrapassar mais um monte de gente e assumir a terceira colocação. Confesso que, neste momento tive medo de estar fazendo algo muito errado. Pois eu já havia tido recuperações espetaculares no segundo dia de prova no Desafio Praias e Trilhas, mas em nenhuma delas eu havia conquistado a terceira colocação tão rapidamente.


Ainda com um certo receio, por conta de meu inexplicável desempenho, segui firme pelas trilhas da Praia da Galheta e da Barra da Lagoa até chegar no primeiro Posto de controle e abastecimento. Parei rapidamente para me hidratar e alimentar, e parti para encarar as infinitas areias da Praia do Moçambique. Quando ainda estava parado no PC, fui ultrapassado pelo atleta que havia sido 2º colocado no dia anterior, o grande corredor Anderson Rosa da Silva, que em junho deste ano sagrou-se vice-campeão do Desafrio Urubici 50km.


Ele me passou e, com propriedade!Foi aumentando gradativamente a vantagem sobre mim, mas sem conseguir afastar-se do meu campo de visão. Decidi que ele seria minha referência. Naquele momento eu estava em quarto, feliz da vida, quase sem acreditar no que estava acontecendo e sem nenhuma pretensão de conseguir passar os grandes corredores que encontravam-se a minha frente.


No entanto, quando um atleta dos Trios passou por mim, nitidamente mais veloz, resolvi arriscar e colar atrás dele aproveitando para pisar nas pegadas que ia deixando na areia fofa, facilitando assim minha corrida. Mesmo com uma economia de energia bem maior utilizando esta tática das pegadas, estava difícil acompanhá-lo, pois ele estava correndo muito mais rápido que o meu ritmo habitual e o risco de eu terminar o Moçambique esgotado era grande, no entanto, eu precisava tentar.


Desta forma, aos poucos fui me aproximando novamente do Anderson, o que me deu uma injeção de ânimo, pois se tratava de um trecho rápido de praia, onde costumo ser bem mais lento que meus adversários. Comecei a correr tão bem que acabei deixando para trás até o atleta do Trio de quem eu havia pego “carona”. Chegando no final da praia, eu havia praticamente encostado no Anderson, e assim que começamos a subir a trilha do Costão do Santinho eu o ultrapassei, nos cumprimentamos e segui em frente, agora mais obstinado do que nunca!!!


Ali, naquele instante em que retomei a terceira colocação geral no segundo dia, passei a não duvidar de mais nada e parti com tudo, com força total, sem medo algum do que pudesse acontecer mais à diante. Ainda no costão do santinho, avistei um atleta que me parecia ser o Plínio (3º colocado no 1º dia), e chegando no segundo PC pude realmente constatar que era o próprio. Ele estava visivelmente abatido e naquele momento eu estava tão alucinado e concentrado em minha prova que nem o cumprimentei (como sempre fazemos), sequer olhei para ele e saí em disparada. Estava em transe! Eu havia assumido ali a segunda colocação, por algum tempo, mesmo sabendo que era verdade, foi difícil assimilar que só restava a minha frente o monstro do Manuel Lago, que no dia anterior venceu com incríveis 4 horas de prova!
Chegando na Praia dos Ingleses, por sorte novamente, tive alguém para me motivar e puxar ainda mais o meu ritmo. Não era um atleta da prova, mas alguém que eu não conhecia e que estava apenas treinando e decidiu correr comigo a praia toda.


Chegando no último PC na Praia Brava, senti pela primeira vez naquele dia, que minhas energias estavam nas últimas. Mas faltavam apenas seis míseros quilômetros, não era hora de, literalmente morrer na praia. Não depois de tudo que eu havia vivido!


Me hidratei e alimentei bem, juntei todas as minhas últimas forças e saí rumo à Ponta das Canas onde encontrava-se o tão aguardado desfecho dessa miraculosa epopeia.
Cada quilômetro deixado para trás era uma comemoração. Minhas pernas já começavam a pedir clemência, a vontade de parar para descansar a cada subida mais íngreme era imensa. Mas parar não era uma opção, não tão próximo do fim... Nos últimos dois quilômetros de prova, lembrei de todos as emoções vividas em todos esses oito anos de Praias e Trilhas. Lembrei de todas as dores, todas as derrotas, todos os amigos... lembrei de minha primeira grande vitória, das pessoas simples, verdadeiros guerreiros que passei a admirar, enfim, de todos os presentes que essa corrida me proporcionou ao longo de todos esses anos.

E quando cheguei à última praia, já avistando ao longe o pórtico de chegada, o sentimento que tomou conta de cada célula de meu castigado corpo, não foi o de, missão cumprida; Mas de saudade. Sim, naquele momento, mesmo antes de cruzar a linha de chegada, eu já estava sentindo saudade de tudo de mais belo que essa corrida significa para mim. E por isso, mesmo com meu corpo clamando pelo fim, eu desejei por um instante, não chegar. Eu não queria que toda a mágica contida naqueles 84km pudesse acabar...
Mas, como tudo na vida, o DESAFIO PRAIAS E TRILHAS 2013, também chegou ao fim. E quando cruzei o pórtico, não pude me conter, deixei todas as emoções extravasarem, sem pudor algum e desabei, em pranto e êxtase!


Minutos depois, já recomposto, mas ainda anestesiado de alegria, percebi que com o tempo de 4h49min que eu acabara de cravar, existia a possibilidade, mesmo que remota, de beliscar um lugar no pódio entre os cinco primeiros colocados na classificação geral. E não é que por um minuto e alguns reles segundinhos, eu consegui! Na somatória dos tempos dos dois dias, fiquei com uma absurda e extremamente comemorada quinta colocação geral.


No final do evento, já na premiação, o grande campeão e novo recordista da prova, Manuel Lago, fez um discurso emocionado. Demonstrando com clareza e profundo sentimento tudo que o Desafio Praias e Trilhas representa para todos nós, que nascemos para o mundo das ultramaratonas, ali, naquelas trilhas e praias.


O Desafio Praias e Trilhas é uma prova inigualável em todos os quesitos imagináveis. Se eu tivesse que escolher uma única prova para correr todos os anos, durante todos os anos de minha vida, sem dúvida alguma, essa prova seria o Desafio Praias e Trilhas 84km em Florianópolis.


O Professor Carlos Duarte, diretor da Ecofloripa e idealizador e organizador desta corrida mágica, nos disse que o Praias e Trilhas só continua existindo por conta de sua teimosia, pois, mesmo estando em sua 11ª edição, a prova nunca lhe deu algum significativo retorno financeiro por conta da baixa procura dos atletas e patrocinadores.


Eu espero do fundo do meu coração, que este relato contribua de alguma forma para o crescimento e sucesso desta prova ÚNICA. E desejo também que o meu amigo Carlos Duarte continue sendo esse bom e velho sonhador de sempre, exercendo sua TEIMOSIA de modo ilimitado! Para que possamos voltar a desfrutar todos os anos (não apenas a cada dois anos) das belezas desta corrida repleta de sentimentos.


Obrigado a cada integrante da Equipe Eco Floripa por todos os belíssimos e maravilhosos momentos vividos.
Vida longa ao Desafio Praias e Trilhas


Daniel Meyer
FORÇA VEGANA
por uma nova consciência esportiva.

 

 

Cristiano Carlos de Melo

" Primeiramente gostaria de parabenizar toda a Equipe da EcoFloripa pela belíssima organização do Praias e Trilhas 2013. Logo após a edição de 2011, tomei conhecimento dessa prova numa conversa com meu primo, que havia participado dela, e coloquei na cabeça que faria parte da próxima edição. E aconteceu. Apesar de não ter treinado como deveria, consegui finalizar os dois dias, recebendo, com muito orgulho, o "conjunto" de medalhas. Quero reforçar os comentários anteriores sobre a prova, ela é sensacional, desafiadora, empolgante e, sobretudo, com paisagens deslumbrantes. Alguns trechos "roubam" nosso fôlego, literalmente. Quero também deixar um agradecimento especial para duas colegas de prova, a Gaúcha Márcia Denize Soares de Lima, pela companhia antes e no início das provas, e também à Mineira Izabela Cristina Teixeira Fonseca, pelos longos trechos percorridos juntos, e também pelos balinhas e glicose.

Um abraço à todos! Vida eterna ao Praias e Trilhas!!"

Valeu Luanda,

Att,

Cristiano Carlos de Melo
Atleta Nº 17

 

DEPOIMENTOS DESAFIO 11º PRAIAS E TRILHAS 84 KM - 2014

 

Mais uma vez parabéns pela prova! Foi a melhor prova da minha vida. Achei que nenhuma pudesse ser tão gostosa quanto o volta à ilha!
Abraços, Clara

Maria Clara Ruschel Hillmann
Atleta Nº 75


 


Bom dia!

Gostaria de agradecer a oportunidade de participar dessa prova, quase fico de fora, por duas vezes, uma por ter passado o prazo de inscrição e vocês conseguirem me encaixar em cima da hora. Parabéns pelo evento, sem dúvidas descobri uma nova paixão, e pode contar comigo para próxima, dessa vez por um minuto perdi o pódio geral, na próxima eu chego lá, hehegrande abraço!
obrigado a todos!!

att.

Carlos Eduardo Vanzuita.
Atleta Nº 103


 

 

Ola!!! Boa Tarde!! Quero parabenizar pela linda prova!!! foi minha 1ª vez e como em todas as provas de vocês foi sensacional!!! minha Equipe ficou em 3ª no Trio masculino e na próxima estaremos de novo para tentar buscar o 1º lugar e o principal!!! desfrutar das belezas de Floripa, Ilha da Magia, PARABÉNS!!!!! Equipe Nossa Saúde! obrigado!

Leonardo Augusto Sanches
Atleta Nº 311 - 1

 


 

 

Obrigado a toda equipe Eco Floripa por tudo, mais uma vez. O Desafio Praias e Trilhas é muito mais que uma simples prova para todos nós, é um momento mágico e único. Onde o tempo parece parar e somente as coisas boas da vida parecem existir.

Vida longa ao Praias e Trilhas!

Daniel Meyer
Triatleta e Ultramaratonista vegano
Atleta Nº 3


 

 


Bom dia amigos da EcoFloripa!

Tive o privilégio de participar deste incrível desafio e gostaria de parabenizá-los pela ótima organização e pelo belo evento. Também estendo os meus parabéns e agradecimento ao pessoal de apoio nos postos de abastecimento e ao longo do percurso que, em todos momentos, prestou um apoio sempre muito prestativo e simpático aos atletas.

Já participei do Desafrio (2x), K42 (2x) e várias outras maratonas e o "praias e trilhas" é realmente único e especial. Especial pela possibilidade de percorrer os locais mais bonitos (e isolados) de Florianópolis, pelo grande desafio do percurso, que envolve os mais diversos terrenos das mais variadas dificuldades e pela chegada simplesmente sensacional ao atravessar um trecho de mar e chegar ao belo hotel sede. Confesso que no congresso técnico achei estranha a chegada ser atravessando um trecho de mar mas, no último dia, ao fazê-lo. tudo fez sentido, você conclui a prova literalmente de "alma lavada"!

Edenilson
Atleta Nº23


 

 

 

Salve Carlos Duarte,

Tudo bem?
Gostaria apenas agradecer pelo privilégio de lhe conhecer pessoalmente, mesmo que brevemente, e também agradecer ao seu incentivo, graças a ele,
pude participar de uma das provas mais bonitas de todas que realizei...

Obrigado Carlos, pelo apreço e seriedade com que levou nosso caso... (do trio que foi em dupla) Também tive o privilégio de uma breve e agradável conversa (em um dos postos de controle), acredito que com sua esposa, imperdoável eu não ter guardado o nome por mais cansado que estivesse. Uma pessoa muito culta e extremamente amável. um grande abraço tbem.

Também a toda seriedade e organização da equipe ecofloripa. Levando a sério e com maestria um evento ímpar e difícil, com muita distância, tempo e
necessidade de logística... impressionante.
Participei de muitas provas de aventura, de triátlons, e dois Ironmam; incrível a qualidade da organização da EcoFloripa.

Ouvi conversas que talvez a prova não ocorra mais anualmente...
compreendo... uma pena, Carlos, ano que vem, eu estaria ai sem falta, e dessa vez, para encarar o mostro Solo!

Um grande abraço

Ataualpa
Atleta Nº 305 – 1


 

 

" Primeiramente gostaria de parabenizar toda a Equipe da EcoFloripa pela belíssima organização do Praias e Trilhas 2013. Logo após a edição de 2011, tomei conhecimento dessa prova numa conversa com meu primo, que havia participado dela, e coloquei na cabeça que faria parte da próxima edição. E aconteceu. Apesar de não ter treinado como deveria, consegui finalizar os dois dias, recebendo, com muito orgulho, o "conjunto" de medalhas. Quero reforçar os comentários anteriores sobre a prova, ela é sensacional, desafiadora, empolgante e, sobretudo, com paisagens deslumbrantes. Alguns trechos "roubam" nosso fôlego, literalmente. Quero também deixar um agradecimento especial para duas colegas de prova, a Gaúcha Márcia Denize Soares de Lima, pela companhia antes e no início das provas, e também à Mineira Izabela Cristina Teixeira Fonseca, pelos longos trechos percorridos juntos, e também pelos balinhas e glicose.

Um abraço à todos!

Vida eterna ao Praias e Trilhas!!

"Valeu Luanda"

Att,Cristiano Carlos de Melo
Atleta Nº 17


 

 

 

Os Atletas e organização - uma grande família

Luanda e Prof Carlos, 
Adorei meu primeiro Praias e Trilhas. Acabei comprando
muitos fotos do FocoRadical (algo que nunca faço!) porque queria compartilhar
minha experiência com minha familia e amigos, queria ter uma boa
lembrança, E claro.. eu quero gerar interesse na prova para que ano que
vem não seja a última edição. Vixe eu ainda estou com adrenalina e euforia
uma semana depois da prova. Gostei muito a galera que correu Praias e
Trilhas, muito gente fina. Organização da prova foi excepcional, em
minha opinião a prova é mais dificil do que Comrades e Ironman.
Eu vou escrever um relato da prova em inglês e mandar para alguns revistas da
corrida. Eu já tenho feito provas parecidas em Canada, USA, Africa da Sul,
Argentina , e esta de vocês aqui no Brasil bate todas elas. 
Outro dia Eloysa Meyer falou para mim algo que concordo 100% "Os atletas e 
a organização formam uma grande família e isso que faz desta prova algo tão especial. Sem contar as belas paisagens e o desafio 
de superar a si mesmo."

Grande abraço e fico feliz de finalmente conhecer vocês.
JAMES LUPTON MOECKEL

 

Melhor prova da minha vida!

Parabéns pela excelente organização!!!
Foi a melhor prova da minha vida!!
Melhor percurso!!!
Contem comigo em 2011!!!

Um abraço!!
JOÃO PAULO

 

Bela prova de 2010

Prof. Carlos, Luanda e Equipe,

 Aproveitando a oportunidade e já novamente inteiro para novos desafios, deixo meus sinceros agradecimentos e congratulações pela bela prova Edição 2010. Tudo transcorreu bem e a acolhida foi ótima sob organização perfeita da EcoFloripa, do começo ao encerramento, assim como na minha primeira participação em 2006.
Parabéns pelo evento e no que estiver ao alcance, vamos relatar isso na mídia eletrônica e impressa.

Em nome dos meus patrocinadores e equipe Corridas de Montanha.

Atenciosamente,
PEDRO ABE MIYAHIRA

 

Simplesmente Mágico

Foi o evento mais maravilhoso que já participei !!! Simplesmente mágico ! Ano que vem, 2011, contem comigo
AMANDA CAVALHEIRO

 

A Corrida mais desafiadora

"Quero dizer que fiquei muito feliz de ter participado, mais uma vez,  da corrida mais desafiadora de Floripa, a qual, considero um Desafio, não apenas na nomenclatura, mas também para mim, como pseudo atleta que sou,  busco desafiar meu corpo em cada treino e/ou competição que participo.
 
Quero também, expressar minha tristeza, em saber, da possibilidade dessa corrida encerrar com sua décima edição.Sou apaixonada pelo trajeto e acredito que tal corrida não tenha similar em todo Brasil. Talvez similar sim, mas com tal trajeto e graus de dificuldade, certamente que não!"    TATIANA SCHMIDT

 

Ilha maravilhosa

Boa tarde.... que DEUS abençoe e em breve retornaremos a sua ilha maravilhosa.... parabens pela organização o qual, aqui em sampa comentei com todos os serviços prestados de sua organização e acessoria.....
ALBERTO CROSS
 

Desafio Praias e Trilhas

Muitas vezes a emoção, a raiva o medo a gana nós faz sair da inércia e nos coloca em movimento, mas só quando estamos motivados conseguimos que esse movimento se torne um passo, e esse passo se torne uma caminhada, e essa caminhada vire uma viagem, e essa viagem se torne um mundo de possibilidades e descobertas muitas vezes boas e outras ruins. A vida é feita para quem se movimenta, não tem espaço aquele que permanece parado com medo de errar, chorar, cair, amar, ou para aquele que tem medo de viver, foi por isso que eu decidi retornar ao Desafio Praias e Trilhas.Praias e Trilhas é considerada a Prova mais difícil do Brasil no gênero, acontece em Florianópolis e tem a distancia de 84 km que é feito em dois dias em terrenos totalmente inóspitos para pratica da corrida. Para alguns atletas que se inscreveram era só mais uma prova para acrescentar no Currículo, para outros, uma historia para ser contada na roda de amigos, mas para mim era tentar encontra algo que eu havia perdido no ano anterior.No ano passado, em 2008, decidi com minha namorada tentar fazer o desafio, não conhecíamos nada a respeito. Sofremos demais durante o percurso, me machuquei na trilha e minha namorada foi me carregando até o ponto de apoio no qual eu apaguei de dor, Ela conseguiu completar o primeiro dia aos trancos e barrancos, pois teve que fazer muita força para me levar. Eu me arrependo muito de ter pedido para ela terminar o primeiro dia sozinha, pois quando ela chegou e não me encontrou no hotel ela sentiu um vazio enorme e eu quando acordei e não a vi me senti sem chão.Finalmente no fim da tarde nos encontramos e sabíamos que esse sentimento intenso tinha nos acrescentado algo indescritível.Os treinamentos começaram novamente em Junho de 2008, Samuel e Pedro também de Brasília decidiram fazer a prova. A companhia deles ajudou demais, são pessoas bastante experientes em corrida e tinham muita coisa boa para agregar.Confesso que ainda estava morrendo de medo, mas sabia que tinha que enfrentar esse fantasma que me perseguia. Alguns colegas me falavam para não ter medo, mas quem não tem medo de nada e porque não tem nada a perder, e eu tenho pessoas que me amam e precisam de mim, e seria muito egoísmo da minha parte deixa-las para apenas tentar provar algo.A cada edição desta prova acabo descobrindo coisas incríveis, quem já participou sabe que são momentos e lugares únicos, é tudo muito diferente do que uma pessoa numa vida normal pode vivenciar.
Rumo a Florianópolis.
No sábado a largada da Corrida foi no extremo Sul da Ilha, partimos às 07h00min rumo a Praia da Joaquina. As trilhas pareciam rios, tinham lugares que íamos deslizando num incrível tobogã de lama.
Na parte da praia a areia era muito fina, quase impossível de correr, mas tinha que aproveitar para tirar a vantagem, pois estava com dificuldade em me locomover nas trilhas molhadas.Com 3hora e 30 minutos de prova chego à trilha da Lagoinha do Leste, o lugar parece com aqueles cenários de filme que achamos que nunca vamos conhecer na vida.Acabei o primeiro dia bem, com 6horas e 07 minutos. Pedro e Samuel também tinha feito uma ótima prova. Tomamos um merecido banho e fomos juntos para o restaurante repor as energias.Não posso esquecer de falar do Bomfim, também de Brasília. Foi um exemplo de superação, pois largou sentindo dores e consegui completar a prova.No segundo dia, largamos novamente às 07h00min. Já começamos nas Dunas da Joaquina, realmente é muito estanho correr no meio daquele tanto da areia.Na altura do km 9 alcançamos o ponto alto da corrida, lá de cima toda beleza da ilha foi revelada aos participantes, no cume da montanha, tínhamos a visão de 360° de toda ilha. Foi incrível, inesquecível.Durante o período de treinamento eu havia prometido que mesmo estando bem, se sentisse que estivesse colocando em risco a minha vida, a corrida não faria sentido, iria parar, pois não iria agregar nada para minha vida pessoalMas as coisas acontecem muito rápidas, é como uma criança pequena que sobe ligeiramente na arvore levada pela alegria e emoção e quando chega lá no alto não consegue descer, grita, mas não encontra ninguém para ajudar. Foi isso que aconteceu comigo no segundo dia de prova. Muitas vezes achamos que nos conhecemos bem, mas nesta parte que às vezes nos enganamos. Eu estava bem na parte da areia, me hidratando, administrando meus passos e curtindo a natureza, mas novamente começou o sobe e desce nas trilhas, parecem que alguém de repente havia ligado e mim a chave para acionar as câimbras. No final da prova constatei que não era só comigo, muita gente teve esse problema.Quando eu tentava manter a amplitude da passada, caia de cara na lama, pois a perna travava, mas ai que começou me desespero quando entrei nos COSTÕES, não conseguia voltar e nem prosseguir, estava preso sozinho, entre o mar e uma parede de pedra, sabia que tinha que tentar sair dali, tinha coragem, porém a parte muscular impossibilitava meu deslocamento. Lembro bem de 2 pedras que eu precisava saltar e não podia errar, pois abaixo estava o mar, e uma queda ali não seria algo interessante. Então eu pulei, mas cai numa posição totalmente errada. Fui deslizando em direção a fenda que levava ao precipício, me agarrei forte numa rachadura entre as pedras, que acabou rasgando a luva direita, emprestada pelo Samuel. Feri minha mão esquerda, fiquei muito assustado, pois estava sangrando bastante, já estava sem apoio nas pernas por causa das câimbras e havia ficado com apoio dos membros superiores debilitado. Tirei a luva de uma mão e passei para a outra que estava sangrando, realmente não sei se o sangramento havia parado, pois o barro da luva se misturava com as feridas.Nesta hora pensei muito nas pessoas que eu amo, é estranho, mas no meio daquela situação, sentado naquela pedra fiz algo que não tinha feito nunca nos meus intensos treinamentos, rezei para Deus me enviar alguém para me ajudar. Fechei os olhos comecei a chorar de alegria, lembrei de uma imagem de uma foto minha quando eu tinha 6 anos. Quando eu abro os olhos vejo distante do lado esquerdo o Hugo vindo na minha direção e a Patrícia alguns metros atrás de mim. Tenho certeza absoluta que Deus que enviou essas pessoas para mim, eu já havia 20 minutos atrás desistido da corrida, queria apenas sair dali. Fiquei morrendo de vergonha, havia estragado a prova destas duas pessoas, principalmente do Hugo que me acompanhou até o final sem eu pedir. Não tenho como agradecer o que ele fez para mim.
Fechei o segundo dia com o tempo de 8 horas. Fiquei muito feliz. Meus colegas de Brasília voaram. Pedro com sua experiência em trilhas foi embora logo no começo e o Samuel que tem uma ótima cabeça para provas longas soube dosar muito bem a sua energia, completou a prova abaixo das 13 horas e 15 minutos.O Bomfim que estava machucado, também conseguiu completar a 2ª etapa.Pedi desculpas de coração para a equipe do Hugo que foi totalmente prejudicada por minha causa.Realmente hoje vejo que essa medalha não vale nada, a distancia não vale nada, o que fica é a incrível lembrança de uma pessoa espetacular que eu nunca havia visto na minha vida que me deu muita força.Esse é o espírito da prova, as pessoas se ajudam bastante, pois se não fosse assim seria impossível transpor alguns obstáculos.Estou muito feliz, não apenas de ter completado a prova, mas sim de ter tido a chance de conhecer pessoas fantásticas durante o trajeto..Se me perguntarem se eu penso em fazer esse desafio novamente, a resposta é sim. Já estou com saudades do clima da prova. O hotel onde parecia que todos já se conheciam há anos. Os treinamentos aqui em Brasília que foram incríveis.Enfim seu continuar contando, você não vai ter o prazer em descobrir sozinho.
Desculpa pelos erros, tentei passar o máximo de emoção

Um grande abraço a todos
RENATO MARANHÃO DOS SANTOS
BRASÍLIA DF

 

Excelente!

Luanda,

Bom dia! Primeiramente gostaria de parabenizar todos da Ecofloripa pela
ótima organização da prova, sempre elogiáveis as provas que vocês
organizam!

Excelente! É sempre um prazer participar de provas tão bem estruturadas
e que realmente há preocupação com o atleta!
 

Prezada familia Ecofloripa

Mais uma vez quero parabenizar a todos os integrantes dessa família por mais um evento de sucesso como foi o 7. Desafio Praias e Trilhas realizado nesse final de semana que passou. Como vocês bem sabem, o sucesso de um evento como esse, vem de uma elaboração muito bem feita por uma equipe de gabarito como a Ecofloripa. Fiquei muito feliz em ter concluido pela quarta vez essa prova, apesar do grande grau de dificuldade imposta pelas chuvas caidas durante os últimos dias que antecederam a prova, achei que tornou mais emocionante concluí-la.Parece que o Nosso Criador Incriado deu um toque especial nessa ilha  ao criá-la; Que a Nossa Mãe Natureza continue ladeando todos vocês com muita paz, luz e inspiração, como também a todos os seus amores.
Um ultra abraço,
LUIZ ULTRA
 

Uma Prova para nossa história de vida

Boa noite,
Em primeiro lugar gostaria de agradecer a esta pela oportunidade de ter participado de um evento impar em minha vida(desafio praias e trilhas), tenho certeza que quantos anos passarem não serão suficientes para apagar os momentos que vivie neste fim de semana, realmente um evento diferenciado com um grupo de participantes (organizadores e competidores) que demonstravam um paixão pelo que estavam fazendo um respeito mútuo entre os competidores além da ajuda e dicas durante o percurso, e já estou me programando para o próximo desafio e espero que tenha a oportunidade de estar presente. Participamos do evento(LEANDRO CARNEIRO Nº37 E DENISON DUARTE Nº40) a convite de um velho amigo Sr Delino Tomé e ficamos satisfeito com nosso resultado mesmo sabendo que realizamos uma boa preparação para este desafio, porém só tivemos dimensão do que era necessário para estarmos realmente prontos após percorremos o percurso e tenha certeza que ano que vem vamos incomodar..
LEANDRO CARNEIRO nº37 e DENILSON DUARTE nº40

 

Seabra - Ultramaratonista

Parabéns pela organização e atenção de todos.
Apesar de ter desistido no primeiro dia não tenho absolutamente nada a
reclamar, mas muito a agradecer.
Como foi a primeira vez que parei em uma prova, cheguei à conclusão de que
ela é diferente daquilo que curto, pois me desgasto muito nas pedras.
Não estarei no próximo ano, mas torcerei pelos amigos ultra e por mais um
sucesso aos organizadores.
Um ultrabraço.
SEABRA.