Você está aqui: Início Imprensa Mudanças no percurso do 17º Revezamento Volta à Ilha Asics trazem mais desafios e emoção

Mudanças no percurso do 17º Revezamento Volta à Ilha Asics trazem mais desafios e emoção

E-mail Imprimir PDF
Dar uma volta inteira na Ilha de Santa Catarina para conhecer suas belezas naturais de carro ou moto, ou ainda de ônibus panorâmico, é muito fácil. Difícil mesmo é 3.700 atletas desafiarem 140 km correndo a pé por trilhas, morros, praias, estradas de terra e ladeiras, superando os limites do próprio corpo. Embora menor que as edições anteriores, o nível de dificuldade do percurso do 17º Revezamento Volta à Ilha Asics aumentou com três importantes mudanças, que incluem travessia de barco e dois novos trechos com trilhas na região Norte de Florianópolis. O revezamento será no dia 14 de abril, um sábado cheio de adrenalina para as 400 equipes buscam prazer, aventura e êxito na maior corrida de aventura do país.
Os atletas irão largar com horários diferentes, a partir das 4h15, na Avenida Beira-Mar, próximo ao trapiche. Serão 22,7 km de asfalto e calçamento até o primeiro trecho de estrada de terra, já na seção 4. Em seguida, os atletas farão a travessia de barco da baía, entre o Sambaqui e o Pontal da praia da Daniela. O trecho 4 termina apenas no fim da praia da Daniela.
Para a travessia entre o Sambaqui e a Daniela, estarão disponíveis três barcos com capacidade para 10 pessoas e duas lanchas com banana boat, que podem levar até 20 pessoas. O tempo de cada competidor durante a travessia será descontado no tempo total do trecho. “A baia é de águas muito calmas e a segurança dos atletas está garantida. Quanto à cronometragem, também não haverá problemas, será tudo feito com muita atenção”, garante Carlos Duarte, organizador e idealizador da prova. A partir do meio-dia será possível acompanhar no site do evento (http://www.ecofloripa.com.br/voltailha/) as parciais de cada equipe e o tempo realizado na travessia da baía.
Outra mudança ocorre na seção 7 do percurso. Depois de correr quase 7 km, o atleta terá que encarar uma trilha de 3,5 km, com 180 metros de altitude, que irá levá-lo da praia da Lagoinha até a praia Brava. Nesse trecho, atenção com pedras e raízes são fundamentais, além de muito fôlego. Mas se o local é considerado um dos mais difíceis, é também tido como um dos que apresenta as mais belas paisagens.
Na seção seguinte, os atletas terão mais uma trilha, dessa vez entre a Brava e os Ingleses. “Antes, a gente voltava pelo asfalto para depois ir até a Brava. Esse ano não, os corredores irão direto, o que reduz a quilometragem, mas aumenta a dificuldade”, explica Carlos Duarte. O caminho tem pouco mais de 1 km e não passa dos 100 metros de altitude, mas também exige atenção. “Com essas mudanças, conseguimos caracterizar melhor a ideia de contorno na Ilha de Santa Catarina”, avalia Duarte em referência ao maior número de trechos próximos ao mar.
Já no Leste da capital catarinense, as equipes seguirão pelas praias do Santinho, Moçambique, Barra da Lagoa, Joaquina, Campeche, Armação e Pântano do Sul, setores que terão dunas, asfalto e trechos longos de areia fofa. Depois da praia dos Açores, chega o grande desafio do percurso, que é a estrada de terra do Morro do Sertão. A seção é a mais longa, com 15 km, dos quais seis são para subir e descer o morro com 250 metros de altitude. Na sequência, restam apenas três etapas para chegar novamente à Beira-Mar Norte. No ponto onde foi dada a largada será a vez de receber os vitoriosos.
Dar uma volta inteira na Ilha de Santa Catarina para conhecer suas belezas naturais de carro ou moto, ou ainda de ônibus panorâmico, é muito fácil. Difícil mesmo é 3.700 atletas desafiarem 140 km correndo a pé por trilhas, morros, praias, estradas de terra e ladeiras, superando os limites do próprio corpo. Embora menor que as edições anteriores, o nível de dificuldade do percurso do 17º Revezamento Volta à Ilha Asics aumentou com três importantes mudanças, que incluem travessia de barco e dois novos trechos com trilhas na região Norte de Florianópolis. O revezamento será no dia 14 de abril, um sábado cheio de adrenalina para as 400 equipes buscam prazer, aventura e êxito na maior corrida de aventura do país.

Os atletas irão largar com horários diferentes, a partir das 4h15, na Avenida Beira-Mar, próximo ao trapiche. Serão 22,7 km de asfalto e calçamento até o primeiro trecho de estrada de terra, já na seção 4. Em seguida, os atletas farão a travessia de barco da baía, entre o Sambaqui e o Pontal da praia da Daniela. O trecho 4 termina apenas no fim da praia da Daniela.

Para a travessia entre o Sambaqui e a Daniela, estarão disponíveis três barcos com capacidade para 10 pessoas e duas lanchas com banana boat, que podem levar até 20 pessoas. O tempo de cada competidor durante a travessia será descontado no tempo total do trecho. “A baia é de águas muito calmas e a segurança dos atletas está garantida. Quanto à cronometragem, também não haverá problemas, será tudo feito com muita atenção”, garante Carlos Duarte, organizador e idealizador da prova. A partir do meio-dia será possível acompanhar no site do evento (http://www.ecofloripa.com.br/voltailha/) as parciais de cada equipe e o tempo realizado na travessia da baía.

Outra mudança ocorre na seção 7 do percurso. Depois de correr quase 7 km, o atleta terá que encarar uma trilha de 3,5 km, com 180 metros de altitude, que irá levá-lo da praia da Lagoinha até a praia Brava. Nesse trecho, atenção com pedras e raízes são fundamentais, além de muito fôlego. Mas se o local é considerado um dos mais difíceis, é também tido como um dos que apresenta as mais belas paisagens.

Na seção seguinte, os atletas terão mais uma trilha, dessa vez entre a Brava e os Ingleses. “Antes, a gente voltava pelo asfalto para depois ir até a Brava. Esse ano não, os corredores irão direto, o que reduz a quilometragem, mas aumenta a dificuldade”, explica Carlos Duarte. O caminho tem pouco mais de 1 km e não passa dos 100 metros de altitude, mas também exige atenção. “Com essas mudanças, conseguimos caracterizar melhor a ideia de contorno na Ilha de Santa Catarina”, avalia Duarte em referência ao maior número de trechos próximos ao mar.

Já no Leste da capital catarinense, as equipes seguirão pelas praias do Santinho, Moçambique, Barra da Lagoa, Joaquina, Campeche, Armação e Pântano do Sul, setores que terão dunas, asfalto e trechos longos de areia fofa. Depois da praia dos Açores, chega o grande desafio do percurso, que é a estrada de terra do Morro do Sertão. A seção é a mais longa, com 15 km, dos quais seis são para subir e descer o morro com 250 metros de altitude. Na sequência, restam apenas três etapas para chegar novamente à Beira-Mar Norte. No ponto onde foi dada a largada será a vez de receber os vitoriosos.


Patrícia Pinheiro
Assessora de Comunicação - SC 51011-JP
Telefone: (48) 9656-2033
e-mail:   Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.  ou
Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.
skype e twitter: patvitara
Texto: Erich Casagrande     
Última atualização ( Ter, 03 de Abril de 2012 17:55 )